Lynyrd Skynyrd celebra 50 anos em SP com apresentação memorável, tributos e participação de Nando Fernandes

Texto por: Tiago Pereira

A banda estadunidense Lynyrd Skynyrd realizou sua primeira apresentação no Brasil após 12 anos sem vir ao país, no Espaço Unimed, em São Paulo, na última sexta-feira, 22 de setembro. Esta foi a primeira de duas apresentações no estado – a segunda ocorreu no Rodeio de Jaguariúna no último sábado (23) – e como parte da turnê de celebração dos 50 anos do grupo originário de Jacksonville, no estado da Flórida. O evento foi produzido pela Mercury Concerts, empresa que há mais de 20 anos realiza o agenciamento de apresentações e turnês de artistas renomados.

A apresentação não somente lotou o local, como reuniu variadas gerações de fãs que, em família, entre amigos ou sozinhos, compuseram um ambiente de celebração que combinou com a marca cinquentenária do Lynyrd Skynyrd.

Junto a isso, a banda fez homenagens simbólicas aos ex-integrantes que faleceram, com destaque à dedicatória a Gary Rossington, falecido em março deste ano e, até aquele momento, único membro da formação clássica ativo na banda. Outro grande destaque foi a participação de Nando Fernandes, vocalista e um dos fundadores da banda de Heavy Metal, Sinistra, que subiu ao palco e dividiu o microfone com Johnny Van Zant em “Simple Man”.

O repertório da apresentação teve 15 músicas apresentadas em uma hora e 40 minutos de show, com foco nos cinco primeiros álbuns, intitulados “(Pronounced ‘Lĕh-‘nérd ‘Skin-‘nérd)” (1973), “Second Helping” (1974), “Nuthin’ Fancy” (1975), “Gimme Back My Bullets” (1976) e “Street Survivors” (1977), além de uma faixa de “God & Guns” (2009). Consequentemente, as faixas clássicas e mais populares foram o foco do setlist.

No palco estavam membros que vieram de formações a partir de 1991, como além de Johnny Van Zant – o vocalista, irmão do lendário Ronnie e único membro que está na banda desde o retorno nos anos 90 -, Rickey Medlocke (guitarra e vocal secundário), Michael Cartellone (bateria), Mark Matejka (guitarra e backing vocal), Peter Keys (teclado) e Keith Christopher (baixo), além de Damon Johnson – guitarrista que assumiu o posto de Gary Rossington após sua morte -, Dale Krantz-Rossington –  viúva de Gary, Carol Chase e Stacy Michelle (backing vocals).

Nem mesmo os 15 minutos de atraso – a apresentação, sem abertura, era prevista para as 22h – geraram alguma reclamação por parte da plateia que, de forma organizada, se posicionou nas duas pistas. Neste tempo, faixas icônicas de rock, a iniciação com comerciais de apresentações futuras do Espaço Unimed e o merchan do whisky da banda, Hell House, geraram o entretenimento momentâneo perfeito para o tempo de espera.

Na introdução ao som de “Thunderstruck”, do AC/DC, um adolescente encontra um disco do Lynyrd Skynyrd numa loja e, enquanto ouvia, cenas diversas de integrantes e ex-integrantes passaram no telão do palco. Na sequência, os integrantes entraram e iniciaram a apresentação com “Workin’ for MCA”.

Na sequência, a banda tocou as faixas “Skynyrd Nation” e “What’s Your Name”. Van Zant, saudou a plateia presente e relembrou sobre a celebração e legado dos 50 anos do grupo.

A continuação da apresentação veio com “That Smell”, em que Johnny interagiu novamente com o público ao perguntar quais pessoas viam a banda ao vivo pela primeira vez naquela noite. Junto a isso, os guitarristas Rickey Medlocke e Damon Johnson revezavam no solo em pequenos trechos.

Em “I Know a Little”, os solos de guitarra seguiam em destaque e animavam o público, com o acréscimo da performance do tecladista Peter Keys que, à esquerda do palco, mostrou toda sua habilidade em um trecho de performance individual.

A música seguinte foi “Whiskey a Rock-a-Roller”, onde a banda aproveitou para exibir, novamente, a guitarra de Hell House. Já em “Saturday Night Special”, Johnny deixou a bandeira dos Estados Unidos – a única no pedestal do vocalista – mais evidente ao cantar. Após novos agradecimentos do vocalista e uma nova demonstração positiva com a energia da plateia, a banda prosseguiu com “The Ballad of Curtis Loew”.

Em “Tuesday’s Gone”, o Lynyrd Skynyrd fez sua primeira homenagem a um ex-integrante falecido: cenas do guitarrista Gary Rossington, foram transmitidas ao longo da faixa sob aplausos dos fãs presentes. Um trecho em texto também ficou à mostra de uma das fotos: “FOR OUR LEADER. OUR BROTHER. OUR FREE BIRD” – “Para nosso líder. Nosso irmão. Nosso pássaro livre.”, em tradução livre.

 

Após “Gimme Back My Bullets”, Johnny chamou Nando Fernandes, vocalista do Sinistra, para o palco. O cantor brasileiro, que estava na pista premium do evento como um fã, recebeu o convite inusitado após chamar a atenção do vocalista do Skynyrd com um cartaz pedindo para cantar “Simple Man” com a banda. Nando, sem acreditar no objetivo alcançado, cumprimentou os integrantes e não deixou a emoção o conter: dividiu versos com Van Zant e se apresentou com maestria. Ao final da música, comemorou a oportunidade, indicando a realização de um sonho por poder cantar com uma das bandas de sua vida. Esta também foi uma faixa que, antes de seu início, Johnny dedicou para as famílias dos fãs presentes, além de ser tocada com símbolos de instituições militares estadunidenses estampados no telão principal.

Gimme Three Steps” sucedeu o icônico momento e, logo após, veio “Call Me The Breeze”. O cover de J. J. Cale ficou marcado pelos acenos de Johnny Van Zanten para a plateia, como um sinal de agradecimento, e por jogar uma espécie de cigarro que tragou para o público.

Na reta final, a banda não deixou de tocar dois de seus maiores e mais conhecidos sucessos. O primeiro, “Sweet Home Alabama”, veio com uma grande imagem da bandeira do estado em movimento. Nos solos, os três guitarristas – Rickey Medlocke, Mark Matejka e Damon Johnson – e o baixista Keith Cristopher se alinharam e tocavam juntos no palco. Foi neste momento, também, que um fã passou mal na pista premium, ao lado de onde eu estava (na intermediária do palco, mais à esquerda na visão do público), numa possível queda de pressão e desmaio. Fãs em volta o carregaram para a área de primeiros socorros e o show seguiu normalmente.

Já o segundo sucesso, “Free Bird”, veio após um momento de pausa da banda, onde os integrantes se retiraram e, após alguns minutos de luzes apagadas, um vídeo de Ronnie Van Zant, uma das vítimas da tragédia de 1977 no Mississippi, foi transmitido. Durante a faixa de encerramento, trechos do membro fundador apareceram, assim como sua voz na gravação de estúdio, o que novamente levou o público a aplaudir e ovacionar o tributo que também contou com o chapéu de Ronnie o representando em um dos pedestais de microfone, enquanto Mark e Rickey tocavam ao lado. A situação se repetiu com a aparição de uma imagem com os nomes de todos os ex-integrantes da banda que faleceram.

Não havia finalização maior do que com o solo de Free Bird: Rickey Medlocke não poupou sua habilidade, muito menos perdeu ritmo durante os minutos em que destacou as cordas para um público eufórico com a performance não somente dele, como da banda num geral.

Após os agradecimentos finais, a banda, em fila, saiu do palco ao som de uma versão discreta de “Happy Birthday”. Membros da equipe de montagem jogaram palhetas aos fãs que ficaram na grade após o final do show. a Happy B

A noite de sexta-feira foi uma celebração completa do Lynyrd Skynyrd, de modo a não esquecer de nenhum membro importante que esteja ou não entre nós, além de ter, por parte da banda, uma ótima interação com os fãs. A performance, a sonoridade local, o repertório de músicas da apresentação e o clima de festa e paixão dos fãs – e vice-versa – se combinaram de modo a ter uma apresentação inesquecível para os presentes que não se importaram com o calor paulistano e, com muita água ou cerveja, aproveitaram todos os momentos possíveis do show.

SETLIST:

Intro: Thunderstruck (AC/DC) + video de abertura

1 – Workin’ for MCA

2 – Skynyrd Nation

3 – What’s Your Name

4 – That Smell

5 – I Know a Little

6 – Whisky a Rock-a-Roller

7 – Saturday Night Special

8 – The Ballad of Curtis Loew

9 – Tuesday’s Gone (tributo e dedicatória a Gary Rossington)

10 – Gimme Back My Bullets

11 = Simple Man (participação de Nando Fernandes, vocalista do Sinistra)

12 – Gimme Three Steps

13 – Call Me the Breeze

14 – Sweet Home Alabama

Encore

15 – Free Bird (com trechos de vocal de Ronnie Van Zant)

Marcio Machado

Formado em História pela Universidade Estadual de Minas Gerais. Fundador e editor do Confere Só, que começou como um perfil do instagram em 2020, para em 2022 se expandir para um site. Ouvinte de rock/metal desde os 15 anos, nunca foi suficiente só ouvir aquela música, mas era preciso debater sobre, destrinchar a obra, daí surgiu a vontade de escrever que foi crescendo e chegando a lugares como o Whiplash, Headbangers Brasil, Headbangers News, 80 Minutos, Gaveta de Bagunças e outros, até ter sua própria casa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.