Eloy Casagrande rompe silêncio e diz que tentou conciliar o Slipknot com o Sepultura

Em dezembro de 2023, quando o Sepultura realizou a sua entrevista coletiva para informar que iria fazer a turnê comemorativa dos 40 anos, e, consequentemente, de despedida, era visível o desconforto do baterista Eloy Casagrande, que inclusive foi bem irônico quando questionado quando iria para o Slipknot, que naquele momento estava sem baterista, após a demissão de Jay Weinberg. Cinco meses se passaram e o brasileiro é o novo dono das baquetas da banda. Antes, em março, ele pegou todos de surpresa ao anunciar sua saída do Sepultura. Essa semana o batera rompeu o silêncio e falou sobre a situação.

Em entrevista ao jornalista Tomás Novaes, da Veja, Eloy, que segue morando em São Paulo, se pronunciou pela primeira vez para um veículo da mídia. Ele já havia deixado um post em sua conta no Instagram, mas deu maiores detalhes. E a partir de suas declarações, é possível entender o porquê de seu silêncio. Ele disse que recebeu o contato ainda em dezembro, que se empolgou com a ideia, pois, segundo ele mesmo afirmou, “não queria parar de tocar com apenas 33 anos”. Então ele começou gravando material e enviando para os Estados Unidos. Em janeiro, Eloy tinha compromisso nos Estados Unidos pelo seu projeto paralelo e com isso surgiu a possibilidade de viajar e passar cinco dias ensaiando com os demais membros do Slipknot.

Ele segue dizendo que recebeu no início de fevereiro a notícia de que tinha sido aprovado durante o período de ensaios, que incluiu não só a execução das músicas do Slipknot, bem como de novas composições. Diante da nova oportunidade, ele perguntou se havia como conciliar as duas bandas, o que foi veementemente negado pelo Slipknot, que queria Eloy de forma exclusiva. E ele disse que foi uma decisão complicada.

Rolou um papo com o Slipknot, perguntei sobre a agenda deles, se daria para conciliar as duas bandas, mas eles falaram que não, não teria como, eu seria exclusivo. Então foi uma decisão minha, pelo término do Sepultura. Foi complicado, eu comuniquei eles quando tinha fechado o acordo, no dia 5 ou 6 de fevereiro. Logo nesse dia eu convoquei uma reunião e expliquei a situação. Foi isso, uma decisão individual.

Eloy também contou que assinou um contrato de confidencialidade e por isso, não poderia falar sobre o seu paradeiro. Mas o Slipknot foi dando pistas, até que, em 25 de abril, um vídeo divulgado não deixou mais dúvidas de que era Eloy o novo dono do posto de baterista da mais popular das bandas de New Metal. O próprio Slipknot que não costuma anunciar seus novos membros acabou por confirmar que era mesmo Eloy por trás da máscara.

Eloy Casagrande entrou no Sepultura em 2011, logo depois que ele se apresentou com o Glória no Rock in Rio daquele ano. Ele ficou por quase 13 anos na maior banda brasileira de Heavy Metal, tendo gravado três álbuns e se destacando neste período como um dos maiores bateristas do mundo. Foi lançado no Heavy Metal por Andre Matos, que apostou no talento de um adolescente de 16 anos. Agora, aos 32, ele tem o mundo aos seus pés.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *