Judas Priest celebra os 46 anos de “Stained Class”

Há exatos 46 anos, em 10 de fevereiro de 1978, o Judas Priest lançava “Stained Class“, o álbum de número 4 da discografia dessa que é uma das bandas mais influentes e importantes do Heavy Metal e que é assunto do nosso bate-papo por aqui hoje.

O aniversariante do dia é o primeiro álbum a contar com o famoso logotipo da banda na capa; é também o único registro a contar com os créditos das composições para todos os integrantes, além de marcar a estreia do baterista Les Binks, que gravou ainda mais dois discos, antes de sua saída.

Os caras passaram os meses de outubro e novembro de 1977 gravando o sucessor de “Sin After Sin“, lançado seis meses antes. As sessõs de gravação ocorreram em dois estúdios: “Chipping Norton Recording Studios“, em oxfordshire registrou as faixas autorais, enquanto que a faixa “Better Than You, Better Than Me“, foi gravado no “Utopia Studios“, em Londres.

A respeito de “Better Than You, Better Than Me”, trata-se de uma versão para a música originalmente gravada pelo Spooky Tooth e essa foi uma espécie de exigência da gravadora, a CBS, que queria a inclusão de uma faixa mais comercial, além de o entendimento da direção que o álbum estava muito sombrio e a inclusão de uma música mais alegre daria outro ânimo ao álbum. A produção desta ficou a cargo de James Guthrie, que impressionou tanto aos membros da banda que ele acabou por produzir o álbum subsequente, “Killing Machine“. O restante do álbum foi produzido por Dennis Mackay, por indicação da CBS. Antes de trabalhar com o Judas Priest, ele havia trabalhado com artistas de Jazz Fusion e no Rock havia assinado trabalhos de David Bowie e Supertramp.

Vamos colocar a bolacha para rolar e conferir o que se passa nos 43 minutos desta obra´prima: “Exciter“, que foi um dos singles, traz em sua intro uma bateria impressionante e a música se desenvolve de maneira rápida e tem um belo solo, além da performance irrepreensível do Metal God, Rob Halford. Excelente.

White Heat, Red Hot” nos brinda com o melhor do que a NWOBHM pode oferecer. Uma canção bela, com ótimos riffs de guitarra e a voz marcante de Halford fazendo a diferença. Em seguida temos o já citado cover para “Better By You, Better Than Me“, do Spoke Tooth, em versão que ficou bem legal. Essa foi outra música que foi lançada também como single. A faixa título é bem legal e mostra o porque a New Wave of Britsh Heavy Metal foi uma fonte inesgotável de inspiração para as bandas que vieram depois.

As três faixas a seguir têm uma pegada Hard Rock e são muito semelhantes entre si: “Invader” mantém o nível do disco bem elevado. Esta é a última composição na banda creditada ao baixista Ian Hill; “Saints in Hell” segue o mesmo ritmo da anterior, um belo Hard Rock para ninguém botar defeito, enquanto que “Savage” em que o destaque é o solo muito bem elaborado.

Beyond the Realms of Reality” tem belos arranjos em suas estrofes, ganhando peso no refrão, nesta que é a única música na história da banda escrita por um baterista, Les Binks. Esta também foi uma das músicas mais tocadas pela banda ao vivo. E “Heroes End” fecha bem o disco com belos riffs e um solo sensacional.

Stained Class” foi bem recebido e obteve disco de ouro nos Estados Unidos pela venda de 500 mil cópias; além disso, o álbum alcançou as posições número 27 nas paradas inglesa (“UK Albuns Chart“), 49 no Japão e 173 na “Billboard 200“. Foi também além considerado o 43º melhor disco de Heavy Metal de todos os tempos, em lista organizada pela revista “Rolling Stone“.

Entretanto, em 1990, quando estava às vésperas de entrar em estúdio para gravar o poderoso “Painkiller“, o Judas Priest foi alvo de um processo judicial, pois dois fãs, se é que podemos chamar de fãs, fizeram um pacto de suicídio após escutar a música “Better Than You, Better Than Me“, no ano de 1985. Ray Belknap e James Vance são os nomes dos dois imbecis que atentaram contra a própria vida. O primeiro morreu, o segundo ficou em coma após acertar um tiro contra seu próprio rosto, vindo a falecer anos depois, vítima de uma overdose de metadona. A família de Vance alegou nos autos que a banda teria gravado mensagens subliminares onde dizia “faça isso”. Obviamente que o processo foi arquivado, diante de uma viagem tão louca quanto essa. É a mania que o ser humano tem de que querer tirar vantagem em cima de tudo. Como se o Judas Priest tivesse culpa pela estupidez das pessoas.

Um álbum que envelhece bem, obrigado e hoje é dia de celebrar essa data histórica. Nós podemos nos sentir privilegiados por vivermos na mesma época de bandas como o Judas Priest, que segue na ativa, sobreviveu a pandemia sem maiores problemas. Fica a torcida para que a banda possa desembarcar em breve em terras brasileiras. Enquanto isso não acontece, vamos escutar esse play no volume máximo.

Stained Class – Judas Priest

Data de lançamento: 10/02/1978

Gravadora: CBS (Inglaterra) e Columbia (EUA)

Faixas:

01 – Exciter

02 – White heat, Red Hot

03 – Better Than You, Better Than Me

04 – Stained Class

05 – Invader

06 – Saints in Hell

07 – Savage

08 – Beyond the Realms of Reality

09 – Heroes End

Formação:

Rob Halford – Vocal

K.K. Dowing – Guitarra

Glenn Tipton – Guitarra

Ian Hill – baixo

Les Binks – Bateria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.