Mike Portnoy explica sua nova dinâmica no Dream Theater: “vou ter que encontrar meu lugar e sem pisar no calo de ninguém”

Há um mês atrás, foi anunciado que Mike Portnoy está de volta ao Dream Theater após 13 anos longe da banda.

Após confirmar seu retorno, alguns fãs tiveram dúvidas sobre como seria o funcionamento dessa nova dinâmica, pois anteriormente, Portnoy administrava setlists e guiava os rumos que o grupo seguiria. Além disso, outras questões como, músicas da era Mangini serão tocadas? Vai existir um “Metropolis pt3”?

Em participação ao Rock ‘N’ Roll Fantasy Camp, o Blabbermouth trascreveu um vídeo onde essas questões são respondidas. Ele disse:

Sobre o reencontro, Portnoy disse:

 “Bem, já se passaram 13 anos. E é uma loucura como o tempo voa. Mas nos últimos anos, acho que durante a pandemia, sim, me reconectei com John Petrucci. Uma vez que estávamos presos e todas as minhas bandas não puderam fazer turnê, e o Dream Theater não pôde fazer turnê, John Petrucci estava fazendo um álbum solo, e ele me pediu para tocar nele. Enquanto estávamos lá decidimos que queríamos fazer outro álbum do Liquid Tension, que é com o Jordan Rudess. E logo depois disso, John me convidou para sair em turnê com ele. Então parece que nós’ meio que me senti reconectado nos últimos anos.

Temos uma longa história – quase 40 anos – juntos, e nossas famílias cresceram juntas, nossas esposas tocaram em uma banda juntas e nossos filhos cresceram juntos. a coisa certa na hora certa… Nossos filhos literalmente cresceram todos juntos, nos beliches de cima, um em frente ao outro, no ônibus. Minha filha e a filha de John moram juntas em Nova York há quatro ou cinco anos. … Então, sim, há tanta história familiar além da música que parecia que era o momento certo para fazê-lo.”

Mike foi perguntado se o terceiro capítulo de “Metropolis Pt. 2: Scenes From A Memory”, será escrito e ele diz:

“Ainda não conversamos sobre isso, mas isso seria a coisa óbvia. Mas talvez por ser a coisa óbvia, não faríamos isso. Mas nunca se sabe… Definitivamente seria divertido fazer, mas acho… não sei. Nós vamos começar do zero e nos reconectar e simplesmente entrar no estúdio e morar juntos. Estamos em uma fase diferente de nossas vidas. Quando deixei a banda, há 13 anos, estávamos todos na casa dos 40; agora estamos todos em nossos 50 e 60 anos. Será interessante ver como existimos agora neste novo mundo. Então, sim, estou ansioso para estar com os caras e fazer música juntos novamente.”

Perguntado como será a sua dinâmica com o retorno ao Dream Theater, Mike Portnoy parece deixar claro que as coisas serão bem diferentes do que era antes, e que eles agiram mais como banda do que totalmente centrado somente nele. Ele ainda abriu possibilidades de incluir músicas da era Mangini no set:

“É muito cedo para dizer. Quando deixei a banda, 13 anos atrás, fui eu quem escrevia o setlist e coisas assim. Então, ainda nem discutimos qual será a nova dinâmica. Estou aberto a isso, é claro, então certamente faria isso, se é isso que eles querem fazer. Mas definitivamente será uma dinâmica diferente.

Acho que quando saí, anos atrás, eu estava administrando muitas coisas, e acho que agora eles se acostumaram tanto a trabalhar mais como uma banda coletiva que acho que é uma dinâmica muito diferente agora que eu vou ter que encontrar meu lugar e sem pisar no calo de ninguém. Tenho que respeitar o fato de eles terem feito isso todo esse tempo sem mim. Então, o que quer que eles queiram fazer, estou pronto para isso. Mas sendo isso, há tantas músicas nossas para voltar e tocar que… Pessoalmente, estou ansioso para revisitar todas essas coisas, mas se eles quiserem fazer coisas mais novas também, o que quiserem está bom para mim.”

Sobre seus demais projetos, se seguirão na ativa, ele respondeu:

“Antes do Dream Theater acontecer, acho que tinha sete bandas ou algo assim, ou oito, ou algo assim. Então, obviamente, não poderei tocar com todas elas, e agora o o foco é voltar ao Dream Theater e focar nisso. Então, tenho a sensação de que algumas bandas sobreviverão e outras não. Mas acho que The Winery Dogs, é muito provável que continue. Ainda estamos continuando. Vou para o Japão na terça-feira por algumas semanas lá com eles. E acabamos de filmar um Blu-ray ao vivo na semana passada no último show na Europa, então isso será lançado.

Mas, sim, ainda há outras coisas na minha agenda. Ainda tenho um show com o Metal Allegiance em janeiro em Anaheim, e ainda tenho alguns shows com o Flying Colors, que é minha banda com Steve Morse e Dave LaRue ; ainda estamos tocando no Cruise To The Edge em março. Então, ainda tenho essas outras obrigações e outras coisas que ainda tenho no calendário com todas essas outras bandas. Mas acho que assim que todas essas obrigações estiverem claras, vou me concentrar no Dream Theater pelo menos por um tempo.”

Vídeo por: TheSilverdude

Marcio Machado

Formado em História pela Universidade Estadual de Minas Gerais. Fundador e editor do Confere Só, que começou como um perfil do instagram em 2020, para em 2022 se expandir para um site. Ouvinte de rock/metal desde os 15 anos, nunca foi suficiente só ouvir aquela música, mas era preciso debater sobre, destrinchar a obra, daí surgiu a vontade de escrever que foi crescendo e chegando a lugares como o Whiplash, Headbangers Brasil, Headbangers News, 80 Minutos, Gaveta de Bagunças e outros, até ter sua própria casa!

One thought on “Mike Portnoy explica sua nova dinâmica no Dream Theater: “vou ter que encontrar meu lugar e sem pisar no calo de ninguém”

  • novembro 26, 2023 em 1:41 pm
    Permalink

    A saída do Portnoy prejudicou a banda.
    Não que o Mangini não seja um excelente baterista, mas, como foi dito na própria entrevista, o Portnoy sempre foi além.
    Porém, quando o DT parecia ter finalmente se reencontrado no excelente AVFTTOTW, o Portnoy volta.
    Enfim, seja bem vindo de volta e que a banda continue gerando bons trabalhos!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.