A música que Steve Harris “roubou” os créditos

A música do Iron Maiden,Wrathchild“, do disco “Killers”, tem os créditos dados ao baixista Steve Harris. Mas há alguma controvérsia sobre essa composição.

Em uma recente aparição no podcast The Metal Voice, o baterista então na época conhecido como Thunderstick, falou sobre a escrita da música, que era muito parecida com uma faixa do Samson,Sleeve By Hothouse“, banda que Thunder tocava e que tem Steve Harris creditado:

“Quando eu estava com o Maiden, Steve foi a primeira pessoa a me apresentar os ensaios apenas da seção rítmica. Até então, todas as bandas em que estive costumavam ensaiar como uma banda o tempo todo. Com o Maiden, Steve começou a ensaiar só nós dois para acertar tudo. E ‘Thunderburst’ foi um padrão de rufar de bateria que eu criei. Ele veio até mim com ideias para essa música, e eu estava fazendo esse rufar de bateria/bateria padrão, e também apresentei algumas ideias.”

Barry Purkis, nome verdadeiro do baterista, então apresentou a música ao Samson:

Então, quando eu estava com Samson, fizemos o álbum ‘Head On’ e ainda estávamos procurando algumas outras faixas para usar. Eu disse: ‘Bem, há uma faixa que é instrumental’ e toquei para eles. E eles disseram: ‘Sim, sim, vamos fazer isso.’ Então, fizemos isso como um instrumental.”

Porém, logo depois, todos os supostos problemas começaram: “Então, assim que isso foi ouvido pelo pessoal do Iron Maiden, fui convocado para uma reunião na EMI. Rod Smallwood estava lá, e Steve estava lá, alguns diretores da gravadora estavam lá, e um alguns membros da equipe jurídica do Iron Maiden. E me disseram, sem incertezas, ‘Steve vai ficar com 50% dos royalties das composições de ‘Thunderburst”. E com Samson, éramos uma equipe de quatro compositores. Ligamos nós mesmos ‘STAB’, que era Samson, Thunderstick, Aylmer e Bruce. Então, obtivemos apenas 12,5% cada da faixa ‘Thunderburst’, e Steve ficou com 50%.”

Marcio Machado

Formado em História pela Universidade Estadual de Minas Gerais. Fundador e editor do Confere Só, que começou como um perfil do instagram em 2020, para em 2022 se expandir para um site. Ouvinte de rock/metal desde os 15 anos, nunca foi suficiente só ouvir aquela música, mas era preciso debater sobre, destrinchar a obra, daí surgiu a vontade de escrever que foi crescendo e chegando a lugares como o Whiplash, Headbangers Brasil, Headbangers News, 80 Minutos, Gaveta de Bagunças e outros, até ter sua própria casa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *