O Slipknot ganha tanto dinheiro quanto achamos? Corey Taylor responde

Que o Slipknot se tornou um gigante do metal nos últimos anos, é inegável. A banda já ganhou diversos certificados de disco de ouros, números exorbitantes de vendas, vencedores de diversos prêmios, donos do seu próprio festival, entre outras tantas coisas. Mas será que isso tudo gera tanto dinheiro quanto nós pensamos?

Em entrevista a FeedbackDef, Corey Taylor falou sobre os salários que os integrantes recebem:

“Honestamente, de uma forma estranha, não ganhamos muito dinheiro. Quero dizer, ganhamos o suficiente para viver, obviamente, e podemos viver confortavelmente. Além de nós na banda, há toda uma equipe que temos que pagar, há a produção… Há toda essa merda pela qual precisamos pagar. Então, no final das contas, somos pagos praticamente de acordo com o que valemos.

Nunca estivemos nem perto dos grandes pagamentos que os esportistas recebem, os atores, toda essa merda. Se você ajustar a inflação, somos basicamente classe média alta. Não rico por qualquer meios. Mas estamos bem. Posso cuidar da minha família; a educação deles está pronta. Tenho seguro para todos os meus filhos. E realmente, é isso.

Talvez seja porque somos tão reacionários. Talvez seja porque não somos palatáveis ​​para um público de massa. Apelamos ao nosso gênero e para pessoas que estão à margem do nosso gênero. Mas é isso. Apelamos a muitos eles, então estamos bem. Mas nunca veremos a porra do dinheiro da Taylor Swift, ou coisas assim.

Então, o equívoco de que todas as estrelas do rock estão participando disso – isso não é verdade. Há uma razão pela qual temos que fazer turnês tanto quanto fazemos. Porque essa é a única maneira de realmente pagarmos nossas malditas contas.”

Marcio Machado

Formado em História pela Universidade Estadual de Minas Gerais. Fundador e editor do Confere Só, que começou como um perfil do instagram em 2020, para em 2022 se expandir para um site. Ouvinte de rock/metal desde os 15 anos, nunca foi suficiente só ouvir aquela música, mas era preciso debater sobre, destrinchar a obra, daí surgiu a vontade de escrever que foi crescendo e chegando a lugares como o Whiplash, Headbangers Brasil, Headbangers News, 80 Minutos, Gaveta de Bagunças e outros, até ter sua própria casa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.