Phil Anselmo fala pela primeira sobre o retorno do Pantera e cita irmãos Abbott

Phil Anselmo falou pela primeira vez, desde que o Pantera retomou suas atividades no ano passado, sobre como a banda funciona atualmente.

 Em conversa com o “The Metallica Report”, um podcast lançado recentemente que oferece atualizações semanais sobre tudo relacionado ao Metallica, Anselmo falou sobre a banda:

“É fortalecedor. É incrivelmente lindo, e você sente muito amor quando está lá em cima. E se você absorver, é uma sensação ótima, cara. Hoje em dia, é aí que eu e Rex, você sabe, podemos curtir mais os shows.

Quando éramos mais jovens, estávamos em guerra e quando estávamos no palco; estávamos apenas com raiva e em guerra, cara. Nossa, isso é um alívio para mim, cara. Não preciso mais quebrar meu maldito corpo em partes.

Quando perguntado como foi se juntar a Zakk Wylde e Charlie Benante na atual formação, Phil disse:

 “Aqueles dois caras, tão entusiasmados. E eles conseguiram sua maldita coisa e seu próprio legado, ambos, sem nós. É uma honra tocar com eles. Eles são os caras mais legais do mundo. Eu sou tão… Zakk, ele é um maluco. Ele é um amor. E, maldito Charlie , conhecemos Charlie desde 1987. Faz muito tempo.”

Rex Brown, baixista do Pantera e que participava da conversa entrou no papo nesse momento e disse:

A maneira como Charlie toca as partes de Vinnie é estranha. Não acho que haja algum baterista por aí que possa tocar do jeito que Vinnie tocou. Eu fecharia os olhos, porque estava tentando ficar firme. Mas às vezes, se eu fechar os olhos, posso ouvir um pouco melhor; acho que posso. E uma lágrima de alegria descia, porque isso era muito parecido com o que Vinnie e eu costumávamos tocar. Então você tem a base.

Philip concordou, dizendo: “Os graves soam tão Pantera, cara. Isso está me assustando.”

O entrevistador falou sobre como sente que o espírito dos irmãos Abbott, Dimebag e Vinnie Paul parece estar a todo momento em volta dos shows do Pantera:

“A única coisa que posso dizer é, cara, eu sei com certeza que Vince e Dime gostariam que fizéssemos isso. Eles iriam querer que a marca Pantera ou o legado continuasse. E eu não sei no que você acredita, mas às vezes, você sabe, você gostaria de pensar que aqueles velhos estão nos olhando, nos dando o polegar para cima.”

O Pantera continua sua jornada no próximo ano ao lado Metallica e tocando shows solos e em grandes festivais da Europa.

Marcio Machado

Formado em História pela Universidade Estadual de Minas Gerais. Fundador e editor do Confere Só, que começou como um perfil do instagram em 2020, para em 2022 se expandir para um site. Ouvinte de rock/metal desde os 15 anos, nunca foi suficiente só ouvir aquela música, mas era preciso debater sobre, destrinchar a obra, daí surgiu a vontade de escrever que foi crescendo e chegando a lugares como o Whiplash, Headbangers Brasil, Headbangers News, 80 Minutos, Gaveta de Bagunças e outros, até ter sua própria casa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.