Resenha: Oblivion Protocol – “The Fall of Shires” (2023)

Richard West, tecladista do Threshold, mergulha de vez no progressivo com seu novo projeto, o Oblivion Protocol, que lança “The Fall of Shires“, seu disco de estreia, lançado pela Atomic Fire Records e trazido ao Brasil pela Shinigami Records.

O trabalho é um mergulho em ondas musicais bonitas e vibrantes, daqueles progressivos que te fazem viajar e para os que amam a melancolia de um Porcupine Tree, irá se esbaldar por aqui.

Com a abertura “The Fall (Part I)”, a amostra do que virá já fica clara. Melodias climáticas e vocais que guiam pela viagem sonora. A introdução da seguinte, “Tormented”, traz um peso maior e os versos vão ganhando impulso, até chegar a um refrão mais ágil e com boa vibração. West usa a ficção para criar alusões a vida real nas letras, o que vai engrandecendo ainda mais o registro. “Public Safety Broadcast” volta ao tom mais melódico e cutuca uma das várias “manias” do público atual, assim como seu nome sugere. “This is Not a Test” encara guitarras mais pesadas e cai em um refrão fluído e com impacto. A voz de West aqui ganha brilho e se encaixa perfeitamente em cada melodia executada pelos instrumentistas. Em “Vertigo”, o sombrio ganha peso e temos uma música embalada com melodias leves e climáticas, com poder e presença, que envolve o ouvinte e o coloca em uma verdadeira experiência, assim como o genial Steven Wilson costuma fazer em suas obras. “Forest in the Fallout” é pesada, potente e ganha em sua metade uma mudança de andamento que transforma tudo em uma nova música, nos dando amostra da musicalidade empreendida aqui. O encerramento fica com a “The Fall (Part II)”, que faz o trabalho em alta, com melodias lindas e carregado de drama no refrão!

Aos fãs de música de alto nível, o disco se torna indispensável, é algo para se colocar na vitrine e ouvir do começo ao fim, viajando em cada momento e cada passagem e descobrindo novos elementos nas várias camadas que são apresentadas por aqui.

NOTA: 8

Marcio Machado

Formado em História pela Universidade Estadual de Minas Gerais. Fundador e editor do Confere Só, que começou como um perfil do instagram em 2020, para em 2022 se expandir para um site. Ouvinte de rock/metal desde os 15 anos, nunca foi suficiente só ouvir aquela música, mas era preciso debater sobre, destrinchar a obra, daí surgiu a vontade de escrever que foi crescendo e chegando a lugares como o Whiplash, Headbangers Brasil, Headbangers News, 80 Minutos, Gaveta de Bagunças e outros, até ter sua própria casa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.