Kerry King afirma ter tocado baixo em todos os discos do Slayer dos anos 90 em diante

O guitarrista Kerry King afirmou em entrevista a Rolling Stone, que da década de 1990 em diante, ele foi responsável por tocar baixo em todos os discos do Slayer. Ele disse quando apontado sobre dúvidas se ele seria o único guitarrista em sua nova banda:

“Eu fiz isso. Não neste, mas desde o início dos anos 90 eu fiz todas as guitarras base e todo o baixo nos discos do Slayer. Eu sempre toquei baixo porque meu cara [ Tom Araya ] realmente não tocava.”

Quando questionado “se a separação foi devido ao fato de Tom e Kerry terem ideologias políticas diferentes, ele respondeu:

“Fiquei super chateado com isso – mas não o suficiente para sair da minha banda. Eu pensei: “Cara, é para isso que serve a sua mídia social pessoal. Você é o único nesta banda que se importa com esse idiota, e quando você coloca isso aí, todos nós estamos apoiando ele. E eu não estou apoiando  Trump,  Gary não,  Paul  não. Essa é a sua opinião, não a nossa. Eu nunca faria isso com você.”

A postagem a que se refere, Tom usou uma montagem onde o então recém eleito presidente Donald Trump junto do Slayer, porém, a foto foi apagada e Araya parece ter se surpreendido com o fato, dizendo em outro post:

“Acredite ou não, essa foto foi postada por mim, Tom Araya, no dia 20/01 porque achei engraçada. Fiquei surpreso com os comentários sobre a foto, alguns positivos, outros negativos, mais incrível foi que em duas horas houve 10.000 curtidas… Mas eu nunca teria imaginado que havia tantos flocos de neve comentando seu desgosto pelo novo presidente. Goste dele ou não, ele é o presidente… Acordei na manhã seguinte e descobri que alguém havia deletado a postagem… Alguém pode explicar por quê…?”

Marcio Machado

Formado em História pela Universidade Estadual de Minas Gerais. Fundador e editor do Confere Só, que começou como um perfil do instagram em 2020, para em 2022 se expandir para um site. Ouvinte de rock/metal desde os 15 anos, nunca foi suficiente só ouvir aquela música, mas era preciso debater sobre, destrinchar a obra, daí surgiu a vontade de escrever que foi crescendo e chegando a lugares como o Whiplash, Headbangers Brasil, Headbangers News, 80 Minutos, Gaveta de Bagunças e outros, até ter sua própria casa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.