Kiko Loureiro fala sobre sua escolha de deixar o Megadeth: “sem arrependimentos”

Kiko Loureiro conversou com a Guitar World, onde ele falou sobre a sua decisão de deixar o Megadeth no ano passado. Ele explica como sua vida pessoal, a sua família, foi o ponto decisivo em sua escolha:

Tudo começou quando reservei uma viagem para casa no Brasil. A última vez que estive foi em 2019, antes da pandemia; Cheguei a um ponto em que disse: ‘Preciso visitar minha família’, então reservei uma viagem para o período de Ação de Graças em 2023 porque o Megadeth nunca faz nada nessa época.

Quando você é jovem, não é casado e não tem filhos, a mentalidade é: ‘Quanto mais shows, melhor’. Mas minha filha agora tem 12 anos e quero passar um tempo com ela. Eu também quero estar lá tocando. Quando o lance do Megadeth aconteceu comigo em 2015, eu tinha uma filha pequena e gêmeos recém-nascidos. Eu estava sempre lutando para saber que precisava estar em turnê, mas também queria estar em casa com meus filhos e minha esposa.

Então, a sensação de ‘Devo sair fazendo essa coisa de rockstar enquanto meus filhos estão em casa?’ continuou aparecendo. E quanto mais momentos e datas importantes eu perdia, mais difícil era.

Ficou mais difícil em 2023, especialmente durante a turnê de verão de três meses. Então procurei Dave em junho e disse: ‘Isso é demais. Não estou me sentindo no lugar ou no humor certo para dar 100 por cento.

Foi complicado para mim falar porque queriatocar, mas sabia que precisava estar em casa. E, claro, Dave não esperava por isso. Tínhamos acabado de fazer um show na Flórida com os Misfits, e foi logo depois desse show que conversei com Dave.

E então o empresário do Megadeth estava lá, e eu avisei que não poderia fazer os shows de setembro. Eu me ofereci para ajudar a encontrar um substituto e fazer o que fosse necessário para ajudar o Megadeth a estar pronto.

Ele continuou:

“Minha proposta não era fazer os shows de setembro e ajudá-los a encontrar um substituto, que acabou sendo o Teemu. Mas então tive alguns problemas com meus filhos e tive que ir ao médico, e senti que queria estar em casa.

Talvez eles tenham pensado: ‘Bem, Kiko pode aparecer na próxima turnê e dizer a mesma coisa’, o que eu entendo. Então eu disse a eles: ‘Eu entendo se vocês acharem que não sou confiável’. Eles ficavam me perguntando: ‘Tem certeza?’ 

No final das contas, tive que assumir o controle porque sabia que precisava e queria estar em casa. Pessoas que não têm filhos não entenderão, mas se você tiver, você entenderá.”

Kiko ainda disse como ele se abriu pela primeira vez, ao tratar do assunto em sua participação no podcas de Rafael Bittencourt, o Amplica e onde ele se abriu pela primeira vez sobre a sua saída do Megadeth:

“Era o podcast de um amigo. Ele não queria perguntar nada sobre o Megadeth, mas eu senti que precisava conversar sobre tudo. Então mencionei essa coisa de “liberdade” e não tenho ideia de como a internet interpretou isso porque quase não vou lá. Tenho certeza de que as pessoas encararam isso de forma diferente.

Isso aconteceu através de uma longa conversa sobre meus sentimentos em relação à minha vida – não se tratava de querer me livrar do Megadeth de um jeito ruim. Eu sei que muitas pessoas não conseguem largar o emprego e optar por ficar desempregados, mas eu tinha duas opções viáveis: estar no Megadeth ou não. Eu escolhi minha vida pessoal.”

Kiko Loureiro ainda afirmou não haver nenhum tipo de arrependimento da parte dele por ter deixado o Megadeth:

“É raro que alguma banda fique junta para sempre como o U2 ou o Rush. Então, nove anos foram bons e eu me saí bem. Poderia ter sido mais – mas precisei sair por motivos pessoais. Tive a liberdade de escolher se queria ficar ou ir. Eu fiz minha escolha. Sem arrependimentos.”

Esta semana, Kiko lançou a sua primeira música após deixar o Megadeth, uma parceria com o também guitarrista, Plini, e que conta ainda com Bruno Valverde na bateria. O vídeo pode ser visto abaixo.

Nas redes sociais, Dave Mustaine parabenizou Teemu Mantysaari pelo seu aniversário e confirmou junto da mensagem que ele passa a ser o guitarrista oficial da banda. Ele diz:

“Feliz aniversário, Teemu! Bem-vindo à família Megadeth, e esteja preparado para 2024 porque o bicho vai pegar”

Marcio Machado

Formado em História pela Universidade Estadual de Minas Gerais. Fundador e editor do Confere Só, que começou como um perfil do instagram em 2020, para em 2022 se expandir para um site. Ouvinte de rock/metal desde os 15 anos, nunca foi suficiente só ouvir aquela música, mas era preciso debater sobre, destrinchar a obra, daí surgiu a vontade de escrever que foi crescendo e chegando a lugares como o Whiplash, Headbangers Brasil, Headbangers News, 80 Minutos, Gaveta de Bagunças e outros, até ter sua própria casa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.