Okotô: há 30 anos, banda lançava o cultuado álbum “Monstro”

Há 30 anos, em algum dia de 1993 (N. do R: infelizmente os discos nacionais mais antigos eram lançados sem a preocupação de documentar a data de lançamento, o que dificulta a nós, pesquisadores, de precisar e noticiar corretamente a data de lançamento de alguns discos importantes da história do nosso Metal), o Okotô lançava “Monstro“, o segundo álbum da banda, liderada pela nossa saudosa vocalista/ guitarrista Cherry Taketani e que é assunto a ser tratado por nós hoje.

O Okotô havia gravado no ano de 1990 o seu disco de estreia e que, musicalmente, não tem nada a ver com nosso homenageado do dia, pois trazia elementos de música eletrônica misturados com música oriental. Mas a banda mudaria esse panorama com o lançamento de “Monstro“, que foi gravado no BeBop Studios, famoso e extinto estúdio localizado na capital paulistana e por onde foram gravados alguns grandes álbuns da então nova safra do Rock Nacional da década de 1990, como os discos de estreia do Raimundos e do Little Quail and the Mad Birds. Na produção, outro que também já não está mais entre nós, Carlos Eduardo Miranda. A bolacha, hoje fora de catálogo, foi lançada pelo selo Eldorado.

Disco rolando, temos oito músicas apenas em breves dezoito minutos, sendo que uma delas é uma versão para “Whole Lotta Roise“, do AC/DC. “Give me Your Money” é provavelmente a música mais notável da banda e muito disso deve-se ao fato de ter sido produzido um videoclipe para ela e a exposição na então emergente MTV, bons tempos quando a MTV era um canal dedicado apenas à música. O velho Gastão Moreira, foi o grande responsável por expôr a banda, em seu antigo programa, o Fúria Metal. O álbum trafega por várias vertentes, como o Heavy, o Thrash, Punk, desaguando no Crossover. É cru e visceral, como o Rock/ Metal deve ser.

O que é mais sensacional, é que era protagonizado por uma mulher. Se hoje, caro leitor, em pleno século XXI, o Rock e o Metal ainda tem um machismo gigantesco entrevado, ainda que muitas bandas femininas tenham surgido, imagine como o ambiente era hostil para as garotas há trinta anos atrás. Mas o grande mérito de Cherry foi não ligar para isso, meteu a navalha na sua cabeça e subia aos palcos para fazer o seu som. Ela não era a única a se aventurar na música pesada naquela época, mas era uma vanguardista. Estava a frente de seu tempo.

Monstro” foi aclamado um dos melhores discos da época e esteve nas listas, junto com álbuns como “Evolution” (Viper), “Chaos A.D.” (Sepultura) e colocou o Okotô como uma das bandas mais importantes de sua época. A banda fez shows durante dois anos até se separar. Em 2000 eles voltaram e ainda lançaram mais um álbum, “Cobaia“, mas sobre este nós iremos falar em uma outra oportunidade.

Porque hoje é dia de celebrar as três décadas deste álbum que, mesml bem curto, dá vontade de botar no repeat e escutar um dia inteiro. Cherry Taketani infelizmente nos deixou em 03 de dezembro de 2017, vítima de um câncer. Ela era guitarrista do NervoChaos quando se foi. Mas deixou o seu curto, porém, precioso legado que é não só o álbum “Monstro“, mas também o Okotô. É por isso que eu sempre digo aqui, eu ouço gente morta!

Monstro – Okotô

Data de lançamento – 1993

Gravadora – Estúdio Eldorado

 

Faixas:

01 – Give Me Your Money

02 – How Should I Know

03 – No Way Out

04 – Mente Suja

05 – Godzilla

06 – Heart Attack

07 – Stormy Night

08 – Whole Lotta Rosie

Formação:

Cherry Taketani – vocal/ guitarra

Andrei – baixo

Miguel Angelo – bateria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.